MPF pede arquivamento da investigação sobre acidente que vitimou Teori Zavascki

O Ministério Público Federal descartou a possibilidade de sabotagem, envenenamento do piloto ou qualquer outra circunstância de prática de crime na queda do avião em 2017.

O Ministério Público Federal de Angra dos Reis descartou a possibilidade de sabotagem, envenenamento do piloto ou qualquer outra circunstância de prática de crime na queda do avião que matou o ministro Teori Zawascki, do Supremo Tribunal Federal, no dia 19 de janeiro de 2017. O MPF trabalhou com três hipóteses iniciais: homicídio culposo, homicídio doloso e acidente. Prevaleceu a última – e o arquivamento do caso foi pedido à Justiça.

Lígia Souto, da Rádio Nacional do Rio de Janeiro