Ministros do TSE cogitam rejeitar ‘de ofício’ candidatura de Lula

Ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cogitam rejeitar “de ofício” possível registro da candidatura de Lula à Presidência da República. “De ofício” significa decidir por iniciativa própria, sem esperar contestação por um partido ou pelo Ministério Público. “Convém à democracia que uma pessoa sabidamente inelegível prossiga a sua propaganda eleitoral e fique na urna?”, questiona o ministro Admar Gonzaga, sem fazer referência ao ex-presidente, de acordo com o blog do Camarotti.

O objetivo é evitar que o PT consiga sustentar Lula como candidato a presidente até o limite máximo do prazo para troca (prejudicando a mudança de dados na urna eletrônica), a fim de transferir o máximo de votos para o plano B do partido e tentar levá-lo para o segundo turno, diz o jornalista do G1.

O preso ilustre da Lava-Jato, condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, não atende às exigências da Lei da Ficha Limpa e está impedido de concorrer a cargo eletivo.