Menu fechado

Maia se irrita com perguntas sobre crise entre poderes e risco de ditadura

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, negou que exista aumento de tensão entre o Legislativo e o Executivo devido à proximidade da votação do veto presidencial, que, se for derrubado, transfere do Executivo para o Legislativo o manejo de R$ 30,1 bilhões do Orçamento da União. O deputado demonstrou irritação ao ser questionado se há risco de ditadura no Brasil.

Em entrevista ao Estadao, Maia demonstrou irritação com perguntas insistentes sobre crise nas relações entre os Legislativo e Executivo: “Não tem confusão, não. Está tudo tranquilo”.

Ao ser questionado se existe algum risco de acontecer uma nova ditadura no Brasil, Maia respondeu com uma pergunta que denota ainda mais irritação: “Que ditadura?”.

Responsável pela entrevista, a jornalista Daniela Nahass deve ter ficado decepcionada com Rodrigo Maia, que pode ser tudo, menos louco para dizer que a democracia corre risco no Brasil.

Essa conversa de ditadura só existe para quem deseja derrubar o governo, porque o presidente acabou com o toma lá, da cá na política e encerrou a gastança com publicidade na velha imprensa.

Maia está em viagem internacional. Na França, teve encontro com o Ministro Responsável pelas Relações com o Congresso, Marc Fesneau, e na Espanha, com o rei Felipe VI.

Relacionados