Juiz nega proibição de faixas que chamam Lula de ‘cachaceiro’

Depois de ser chamado de “cachaceiro” em faixas exibidas em sobrevoos de avião sobre o litoral de Santa Catarina, o ex-presidiário Lula não se deu bem na Justiça. Ele pediu liminar proibindo o uso das faixas com tais dizeres, mas o juiz Fernando Machado Barboni negou, nesta terça-feira, 31.

Lula pleiteou que o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, responsável pela iniciativa, fosse proibido de custear e exibir mensagens ofensivas ao petista ao longo das praias.

Na decisão, dada em plantão judiciário, Barbori indica que Lula é uma pessoa pública e está sujeito a críticas por parte da população. O magistrado sustentou que a Constituição não permite censura prévia.

No início do mês, Hang disse nas redes sociais que patrocinaria um avião para sobrevoar o litoral do Estado levando faixas com dizeres contra o ex-presidente. Nesse sábado, 28, publicou vídeo em que uma aeronave mostra a frase “Lula cachaceiro devolve meu dinheiro”.

Deixe seu comentário