Alcolumbre negocia acordo para recuar sobre os R$ 30 bi e esfriar manifestações

Alcolumbre negocia acordo para recuar sobre os R$ 30 bi e esfriar manifestações

Os efeitos positivos das manifestações do dia 15 de março podem aparecer até antes daquela data que poderá levar alguns milhares às ruas das principais cidades brasileiras. De acordo com matéria do site UOL, um acordo está sendo costurado para que o Legislativo desista de tomar R$ 30 bilhões do Executivo para distribuição pelos parlamentares a estados e municípios de sua livre escolha, sem critérios claros.

O acordo envolveria o presidente Jair Bolsonaro e os presidentes do Senado e da Câmara – e até o presidente do STF, Dias Toffoli. A contrapartida de Bolsonaro para Alcolumbre e Maia seria esfriar (não se sabe como!) as manifestações do dia 15. O contribuição de Toffoli teria sido ajuda a clarear que a migração dos recursos não seria adequada, tal como pensam até alguns líderes de partidos opositores, como Podemos e Rede.

A iniciativa do entendimento teria partido de Alcolumbre, que, apesar da gritaria por causa dos vídeos que Bolsonaro enviou a seleto grupo de amigos, não fez qualquer tipo de manifestação pública. Preferiu conversar com Bolsonaro, Maia e Toffoli. Como a votação do polêmico veto (e outros) está nas mãos de Alcolumbre, presidente do Congresso, já primeira sessão da próxima semana será possível conferir se ouve mesmo acordo.

Com informações do UOL.

P.S.: Bolsonaro, Maia e Alcolumbre se reúnem, segunda-feira (2), para tratar do acordo, conforme O Antagonista. O site diz que a proposta é reduzir os R$ 30 bilhões para R$ 11 bilhões.

Deixe seu comentário