Odebrecht e Itaipava bancaram dossiê dos aloprados contra Serra em 2006

O esquema de lavagem de dinheiro organizado em conjunto pela construtora Odebrecht e pela cervejaria Itaipava bancou as despesas de R$ 1,7 milhão para a compra do chamado Dossiê dos Aloprados do PT, em 2006.

O dinheiro seria usado para comprar o dossiê envolvendo o então candidato a presidente José Serra, ex-ministro da Saúde, no escândalo da Máfia dos Sanguessugas.

A papelada, que se revelou falsa, seria vendido pelos empresários Darci Vedoin e seu filho, Luiz Antônio Vedoin, donos da empresa Planam, pivô do escândalo das sanguessugas.

Os compradores, integrantes do PT, foram presos pela Polícia Federal em um hotel de São Paulo, quando se preparavam para fechar o negócio sujo.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


1 + 9 =